Category Archives: Factual

Gastronomia = Saberes + Sabores
   Felipe  Camelo  │     11 de abril de 2018   │     15:56  │  0

 

Você sabia que, nos últimos anos, o principal interesse dos turistas que querem vir a nossa capital é a culinária?

93% das pessoas que vem pra Maceió não procura especificamente as praias, como se é de imaginar, e sim a comida. Com esse movimento gastronômico em alta, nada + justo que dar sua merecida atenção.

Sendo assim, desde o último dia 9, tá rolando a VI Semana do Conhecimento, com o “propósito de oferecer a empresários, profissionais do setor e demais interessados o aperfeiçoamento de técnicas e reciclagem aplicadas à gastronomia”, tudo isso promovido pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Alagoas em parceria com a Prefeitura de Maceió/Secretaria de Turismo.

Até a próxima 6ª, dia 13, grandes nomes da gastronomia brasileira em solo maceioense, incluindo Lucas Corazza, Lidiane Santos, Rubens Saser, Paula Souza, Rivandro França, e os alagoanos Serginho Jucá, Felipe Lacet, Vítor Generoso, Breno Gama, Jonatas Moreira e Deco Sadigursky.

Aproveitando o embalo, alguns chefs, que vieram pra convenção, se reuniram ontem no Divina Gula p’rum superjantar, com destaque pra presença de Yêda Rocha, 1 das lendárias irmãs Rocha, e seu magnífico bolo de rolo. É claro que eu estava lá pra capturar cada momento.

Tags:

>Link  

Música em Movimento
   Felipe  Camelo  │     10 de abril de 2018   │     16:09  │  0

De tempos em tempos aparecem aquelas bandas que de 1 jeito ou de outro unem todas as tribos num público fiel e heterogêneo. Foi assim com os Beatles nos anos 60,  Nirvana nos 90, e, aqui no Brasil, guardadas as devidas proporções, existe 1 grupo com potencial pra fazer o mesmo.

Estamos falando do BaianaSystem, formado na Bahia pelo vocalista e compositor Russo Passapusso, o baixista Marcelo Seco, e Roberto Barreto, guitarrista e idealizador. Se utilizando de percussões africanas e do sound system jamaicano, com influências, é claro, da cultura baiana, o conjunto é 1 miscelânea de ritmos, de forma que fica até difícil enquadrá-lo num único gênero. Rock, reggae, hip hop, frevo – BaianaSystem é tudo isso.

Fotos: Reprodução

Depois de lançar seus 2 álbuns de estúdio, ‘BaianaSystem’, em 2010, e ‘Duas Cidades’, de 2016, despontou no mundo musical, tocando em festivais importantes como o Rock in Rio e o Lollapalooza. Considerada pela imprensa como “a melhor banda brasileira ao vivo da atualidade”, após o carnaval de Salvador, deste ano, este apontamento ficou + do que comprovado. O ícone Caetano Veloso chegou a declarar a apresentação no trio elétrico Navio Pirata como “um grande acontecimento cultural e histórico”, e exalta o conjunto como “experimento de maturação coletiva que dificilmente será desprezado daqui pra frente”.

O + impressionante é 1 grupo deste porte, que normalmente ficaria preso ao nicho alternativo, conseguir arrebatar as massas e tocar em trios, onde existe a necessidade de ser popular, e não só surpreender, como também fazer todo mundo sair do chão “como se não houvesse amanhã”. Por sorte, não demoraremos muito pra ter a oportunidade de presenciar esta pérola “ao vivo e à cores”.

Às 9 da noite do próximo dia 13, no Espaço Armazem, em Jaraguá, BaianaSystem pela 1ª x dando as graças em Maceió, com produção local de Silvana Valença e Sue Chamusca. Abrindo a noite, DJ Barão,  Rock Maracatu, que despensa d+ explicações, e Luiz de Assis, cantor e compositor da Vibrações, 1 das bandas + badaladas de Alagoas. Tudo isso regado a muita Caatinga Rocks, a cerveja oficial do show.

Os ingressos? No Maceió Shopping, no Viva Alagoas e na Livraria Leitura (também no Parque Shopping).

Faça parte da história da música brasileira enquanto ela está sendo moldada, e prestigie aquela que é, possivelmente, a banda + promissora desta e de muitas outras gerações.

Tags:

>Link  

Fotografia no Olimpo da Arte
   Felipe  Camelo  │     9 de abril de 2018   │     16:52  │  0

Eos talvez não seja a deusa + popular do Olimpo – geralmente a gente pensa 1º em Atena, ou Zeus, ou até Ares – apesar disso, ela é com certeza a detentora de 1 dos mitos + interessantes da Grécia antiga.

Também conhecida como Aurora, é a personificação do amanhecer. Filha dos titãs Hipérion e Teia, seu dever é abrir os portões do céu pra seus irmãos, Hélio, o Sol, e Selene, a Lua. Geralmente é representada com longos cabelos louros, unhas cor-de-rosa, asas nos ombros e nos pés, e em algumas versões possui 1 carruagem puxada por 2 cavalos alados, chamados Lampos e Faetonte. Figura jovial e despreocupada, esconde 1 história repleta de decepções amorosas.

A Aurora, de William-Adolphe Bouguereau (1881)

Lembrada por vezes como amante dos deuses, teve caso com Ares, o deus da guerra, o que despertou os ciúmes de Afrodite, a deusa do amor, da beleza e da fertilidade, que lhe rogou a maldição de apenas se apaixonar por mortais. A partir daquele momento, Eos passou a vida inteira procurando pelo amor, incluindo o sequestro de alguns de seus amados, prática bem + comum pra divindades masculinas.

Numa de suas desventuras, se apaixonou por Titono, irmão do rei de Tróia, Príamo. Ela o amava tanto que o raptou e pediu pra Zeus torná-lo imortal, assim poderiam ficar juntos por toda a eternidade. O pai dos deuses realizou seu desejo, no entanto não concedeu a Titono a juventude eterna, assim, o amante continuou envelhecendo, se tornando cada vez + decrépito, sem nunca morrer.

Nem só da captura de belos jovens vivia a deusa. 2º os mitos, ela também levava a alma dos reis e heróis mortos p’ro seu merecido descanso junto aos deuses. A aurora representava o entardecer, mas também o começo de 1 novo dia.

Eos, de Evelyn De Morgan (1895)

Se você estiver pensando como ficou tanto tempo sem conhecer Eos, saiba que a mitologia é muito vasta e cheia de variações. Muitos feitos acabam sendo atribuídos a outros personagens, e a cultura pop tem os seus favoritos de costume, mas se você quiser conhecer 1 pouco + sobre o conceito por trás desta musa olímpica, temos a solução.

Às 7 e 1/2 da noite da próxima 4ª-feira, dia 11, Galeria Gamma estreará a exposição coletiva ‘Eos’. Obras dos fotógrafos alagoanos, Gabriel Novis, Gustavo Mata, Gustavo Pereira, João Facchinetti, Luna Gavazza, Thiago Laion e Thiago Sobral, fazendo releituras poéticas a respeito da deusa do amanhecer.

Curadoria de Roberto Fernandes, que sabe muito bem o que pretende extrair dos mitos em relação às imagens expostas. “Eos era responsável também pelo brilho do sol e das tonalidades do céu. Sob esta poética, pedimos licença nesta mostra para nos abstrairmos de linguagens técnicas entre as imagens e tratar de uma história contada, não por elementos ou texturas, mas tentando organizar um conto, através apenas de um ponto, a luz”, disse ele.

Iniciativa + do que bem vinda, como só a Galeria Gamma tem feito em território caeté. Além de dar espaço a jovens e talentosos artistas, reforça ao público a fotografia como forma de arte, e coloca no mapa, mesmo que de forma regional, a rica mitologia grega, ainda por cima, a da formosa, e “sub-celebrada”, Eos.

Em cartaz, até 25 de maio, com certeza, vale visita, vale consumo!!!

Tags:,

>Link  

Multimídia da Arte
   Felipe  Camelo  │     6 de abril de 2018   │     15:27  │  0

Ontem recomendei aqui no blog a mostra ‘As cores de Eduardo Ruiz’, recebida com carinho pela diretora presidente da Diteal, Sheila Maluf, e seu diretor artístico Alexandre Holanda, lá no  Complexo Cultural Teatro Deodoro.

O artista também aproveitou a abertura ontem à noite pra lançar seu livro de poesias ‘poematório’. Na programação, performance artística dos atores José Márcio Passos, Homero Cavalcante e Lucas Lerato, e das cantoras Leureny e Elaine Kundera. Também na cena, apresentação do trio Cai Dentro, composto pelos músicos Bruno Palagani, Wilbert Fialho e Mikla Waltari. É claro que eu fui conferir este misto cultural pessoalmente.

A exposição fica em cartaz até o próximo dia 27, e pra agendar visitas guiadas, pelo [email protected]

Tags:,

>Link  

5ª-feira, Artes de 1ª
   Felipe  Camelo  │     5 de abril de 2018   │     16:36  │  0

Quem acompanha este blog sabe o quanto reforçamos a propagação e valorização da arte, principalmente alagoana, que movimenta a economia, molda opiniões e cria no imaginário coletivo 1 senso de identidade cultural própria.

Ainda que esteja bem longe do ideal no quesito “reconhecimento local”, Alagoas é bastante rica e prolífera em produções artísticas, e de X em quando surgem alguns movimentos pra “puxarem a gente pelo pé” e nos lembrarem disso.

Exemplo é a maceioense Cia dos Pés, que desde 2000 “desenvolve processos de pesquisa visando a criação em dança como uma forma de ser, existir, interferir e se comunicar no mundo”. O grupo prioriza a dança autoral como fruto de métodos investigativos, promovendo espetáculos e ações formativas.

Foto: Jul Souza – Reprodução

Pra comemorar seus 18 anos, a companhia vêm com programação especial, que inclui apresentação de espetáculos, mesa de discussão, oficinas, exposição, confraternização dançante… Tudo isso hoje, amanhã, e no próximos dias 12 e 13 em diversos locais de desenvolvimento cultural.

Esta noite, às 7, no Cine Arte Pajuçara, abertura com mesa redonda reunindo Antônio Lopes, Noemi Loureiro, Telma César e Valeria Cano, seguida de exposição fotográfica e “comes e bebes”, às 8 e 1/2.

O cronograma completo:

Imagens: Reprodução

Já no Complexo Teatro Deodoro, praticamente simultaneamente, às 7 e 1/2, o artista paulista Eduardo Ruiz abre sua 1ª exposição individual, ‘As Cores de Eduardo Ruiz’.

São 60 telas com pinturas, impressionistas e expressionistas, representando paisagens naturais de Maceió, imagens de santos e orixás e personalidades históricas como Nise da Silveira e Graciliano Ramos.

Também na cena, Ruiz lança seu livro de poemas, ‘Poematório’, contando com performance artística dos atores José Márcio Passos, Homero Cavalcante e Lucas Lerato, com as cantoras Leureny e Elaine Kundera. Na trilha musical o trio Cai Dentro, composto pelos músicos Bruno Palagani, Wilbert Fialho e Mikla Waltari.

Tags:,

>Link