Recusar, Repensar, Reduzir…
   Felipe  Camelo  │     26 de setembro de 2018   │     17:07  │  0

Se têm 1 coisa que a humanidade precisa rever com o urgência é a forma que tem tratado toda a sua tralha.

Tirando o Brasil como exemplo. De acordo com pesquisadores é produzido anualmente no país cerca de 79,9 milhões de toneladas de lixo. O suficiente pra encher 206 estádios do Morumbi!!! É 1 dos países que + produz resíduos, alcançando o nível de outros + desenvolvidos, como Croácia e Hungria, mas possui 1 dos piores padrões de descarte do mundo em relação à quantidade. Lixões à céu aberto e pouca reciclagem são os protagonistas.

Claro, este não é 1 problema apenas brasileiro. É 1 conceito que deve ser revisto por todo o mundo antes que acordemos qualquer dia desses num planeta coberto de lixo.

Cena do filme “WALL·E”. Imagem: Reprodução

Na animação “WALL·E”, de 2008, a Disney/Pixar nos apresenta 1 mundo em que este medo virou realidade. Através dos olhos de 1 pequeno robô catador de lixo, observamos 1 planeta terra onde os seres humanos finalmente atingiram o fundo do poço e o poluíram até o ponto em que ficou impossível habitá-lo.

O jeito mesmo foi levar a maior quantidade possível de pessoas pr’o espaço. Lá, dentro de 1 nave gigante, os descendentes dos seres humanos vivem numa redoma autômata em que não precisam se levantar nem pra necessidades básicas. As máquinas fazem absolutamente TUDO por eles. A consequência disso é 1 geração completamente obesa e de ossos fracos que nem ao menos sabe o significado de “academia”, “correr” ou até mesmo “andar”!!!

Ok, é exagerado. Parece inocente, todo mundo acha fofo, ri… Mas o que “WALL·E” faz, em poucos minutos, é mostrar a nossa capacidade de sermos preguiçosos, inertes, ignorantes, a ponto de deixarmos que a mãe natureza seja destruída de forma tão besta, coberta por lixo. E o pior, pelas nossas próprias mãos.

Imagem: Reprodução

A ameaça é verdadeira, e precisamos exercitar nossa cidadania pra mudar esse absurdo quadro.

É com isso em mente que vários projetos são criados Brasil afora com o intuito de espalhar a mensagem da conscientização pra formarmos 1 sociedade + ecológica. Aqui em Alagoas, por exemplo, acaba de desembarcar o Relix.

Inspirado no latim “lix”, que significa cinzas, o Relix trata-se justamente de refazer tudo destas danadas destas cinzas. Recusar, repensar, reciclar, reduzir e reutilizar o lixo é a ordem. Pra isso, o projeto discute a sustentabilidade com ações envolvendo arte, educação e tecnologia, desta vez trazendo pra terras caetés o espetáculo “Oceano”.

Serão, ao todo, 30 apresentações em instalação no campinho próximo à Praça Multieventos, na Pajuçara. Em cena, bonecos contracenando com atores numa dramatização imersiva, que pretende levar ao espectador a experiência do fundo do mar pra se questionar sobre toda a poluição que o permeia.

Foto: Reprodução

Esta empreitada está ganhando vida desde ontem, com estudantes de escolas públicas como convidados de honra, e continuará até a próxima 6ª-feira, dia 28, com sessões pela manhã às 9, 10, e 11 horas, e à tarde, 3 e 4.

Foto: Helder Ferrer – Reprodução

Mas é claro que não para por aí. Após a passagem pela praia, o projeto Relix tem encontro marcado diretamente nos colégios estaduais a partir do dia 4 de outubro, onde apresentarão o Espetaculix.

Outra peça original, que utiliza a interpretação, muita música e descontração pra inspirar as crianças a aderirem o modo de vida sustentável com história sobre pessoas comuns que se tornam heróis da sustentabilidade. Serão 110 apresentações do tipo em instituições alagoanas.

Foto: Reprodução

E como se não fosse o bastante, o projeto ainda apresentará por onde passar a Ciclolix. Bicicleta coletora projetada para oferecer maior segurança e otimizar o trabalho dos catadores de lixo. Nela, carroceria adaptada com capacidade pra até 1/2 tonelada de dejetos, além de amassadores de latinhas e garrafas PET, sinalização de segurança e estepe.

25 dessas belezinhas serão distribuídas a associações de catadores de toda Alagoas. 1 alívio pr’os burros de carga e pr’os próprios trabalhadores que ganharão 1 pouco + de conforto. Ainda serão doados kits que incluem bolsa, chapéu com proteção para a nuca, camisa UV, par de luvas, trava de segurança e bomba de calibragem.

Tudo pra que nosso lixo não vire o lixo do futuro, ou pior, transforme ele num lixo. E você, têm feito a sua parte?

Tags:,

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *