Monthly Archives: junho 2018

Da Gazeta, aqui, na GazetaWeb
   Felipe  Camelo  │     30 de junho de 2018   │     10:00  │  0

Atendendo a inúmeros pedidos, em todos os fins de semana, resumão, repercutindo as fotos e legendas da coluna, publicadas durante a semana na Gazeta de Alagoas.

Amaury Lages & Creuza Lippo no ‘Trem do Forró’, cuja postagem vale acesso no http://felipecamelo.blogsdagazetaweb.com/2018/06/25/sao-joao-nos-trilhos/ Foto: FC

Luiz Augusto com reforço extra na Agência UM, em Maceió. Sua nova diretora de Mídia e Conexões é Dani Ferro, que chega com experiência de 20 anos em marketing e mídia no sul/sudeste. Bem vinda. Foto: Ademar Filho – Divulgação

“Aproveitando a praia e conferindo os últimos lances da Copa do Mundo 2018 – Rússia”. Antenado e bem humorado, Manzito Loureiro numa ótima crítica aos crimes ambientais. Foto: Acervo Pessoal – Reprodução

Bela e alagoana, Sayonara Romão vem fazendo o maior sucesso ‘modelando’ em São Paulo. E aproveitou uns dias de folga pra repor as energias, matar a saudade, curtir o São João e o Trem do Forró. Foto: FC

No último fim de semana, Carlos Henrique Tavares provou que os 70tões de hoje, nem se comparam aos de antigamente. Que o diga sua bem amada Mariza Pacheco Tavares. Viva o amor. Foto: Marina Pacheco Tavares – Cortesia

Felizes pelo filhão, chef Paulo Quintella, figurar no livro de Nide, com a maravilhosa receita “Siri Tropical”, André Quintella & Andréa Moreira. Amados meus da vida toda, fico muito feliz quando os encontro. Foto: FC

Talentoso jornalista e chargista, Ênio Lins assina “Uma práxis das urupemas” no prefácio do livro da irmã Nide Lins, igualmente talentosa e “glutona exigente”, 2º ele. Cobertura do lançamento, no http://felipecamelo.blogsdagazetaweb.com/ Foto: FC

No último domingo, entre milhares na Parada LGBT de Nova York, o’ alagoano/novayorkino’ André Dantas, acompanhando Archie (filho de 1 amiga) que foi com a turma de sua ‘Blue School’. Detalhe, André não é gay, mas como ser civilizado que é, foi engrossar a turma dos simpatizantes, confirmando que “Toda maneira de amor, vale respeito”. Que pessoas como ele sejam maioria no mundo. A vida agradece. Foto: Acervo Pessoal – Reprodução

E por falar no Trem do Forró, Lena Vilela tem o ritmo no sangue, acostumada aos arraiais juninos da vida toda. Literalmente, cresceu dançando. E não perdeu a chance de

… aproveitar o balanço do trem, inclusive nos braços do amigo Vinícius Palmeira, que foi perfeito anfitrião, como ativo presidente da Fundação de Ação Cultural de Maceió. Ele, que hoje, leva sua intrínseca alegria a Riacho Doce, garantindo + animação ao Arraiá de São Pedro na Santorégano, numa animada mesa. Fotos: FC

Presidente Abav/AL, Afraninho Lages e o presidente nacional da entidade, Carlinhos Palmeira, confirmados no café da manhã que Kiko Gatto oferece hoje, apresentando o novérrimo Brisa Suites. Foto: FC

Arquiteta das + talentosas, e querida minha da vida toda, Babi Sampaio voltando no Trem do Forró, e mesmo cansada, sentada, não deixou de engrossar o coro de “Asa Branca”. Foto: FC

Secretário de Turismo de Maceió, Jair Galvão, deputado federal Ronaldo Lessa, prefeito Rui Palmeira, secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas, Raul Brito, o anfitrião Kiko Gatto, e o diretor de operações da CVC (a maior operadora de turismo do Brasil), Clayton Armelin

… mas quando foi formada a ‘frente de honra’, governador Renan Filho, já tinha ido, cumprir agenda. Não sem antes, cumprimentar a jornalista Nide Lins pelo seu novo livro “Receitas de Alagoas”. Fotos: FC

Linda, Rosane Gama feliz da vida, sua Marina recebeu o ‘Top Dog’ (reconhecimento ao conjunto de seus trabalhos acadêmicos) na Miami Ad School Brasil, “a melhor e + premiada escola de criatividade da América Latina”, no curso de Publicidade, em São Paulo. Honrando o DNA da avó publicitária, Anand Niyati. Foto: FC

Outro dia, saindo do Maceió Shopping, 1 maravilhoso jazz me chamou atenção. No ponto de ônibus, este saxofonista batalhando pela sobrevivência. Viver de arte no Brasil não é fácil, aqui entããão. Foto: FC

Tags:

>Link  

Se Devorando além do Tempo
   Felipe  Camelo  │     29 de junho de 2018   │     10:00  │  0

Se você nos acompanha aqui no blog, com certeza já deve estar careca de saber o quanto a arte alagoana é rica, diversificada e prolífica. Não se martirize se não acompanha-la ou não conhecê-la direito. Na maioria das vezes a culpa não é sua, não somos tão estimulados a apreciar arte da forma correta. E em Maceió então, onde o movimento cultural artístico é beeem subvalorizado…

Mas, se quiser recuperar o tempo perdido, saiba que não é tarde. Claro que você precisa de alguns pré-requisitos pra adentrar neste meio, como por exemplo, conhecer as pratas da casa. Quer 1 exemplo? Qualquer 1 minimamente ligado na arte contemporânea alagoana com certeza já ouviu falar em Delson Uchôa.

Mariana Ximenes e Delson Uchôa. Foto: Acervo Pessoal – Reprodução

O pintor e escultor internacionalmente conhecido, nasceu e cresceu em Maceió. Iniciou sua trajetória nos anos 80, quando largou sua formação inicial em medicina pra se dedicar as artes plásticas. Começou seus estudos na Fundação Pierre Chalita, mas deu continuidade na França. Voltou pr’o Brasil e fixou moradia no Rio de Janeiro, onde deslanchou no cenário  artístico nacional participando da mostra “Como vai você? Geração 80”.

Apesar de já ter exibido no mundo todo, inclusive em Bienal de Curitiba, de São Paulo, Cuba, Veneza, Paris… Delson nunca negou suas origens alagoanas, e hoje mora em solo caeté, onde reuniu seu acervo. No ano passado até participou da exposição “Horizontes – Arte Contemporânea de Alagoas” da Pinacoteca Universitária, em homenagem aos 200 anos de emancipação política da terra dos marechais.

“O uso do papel excedido até o quase-mural, o trompe l’oeil, os elementos bandeira, as oscilações entre o quase kitsch e o quase despojado, entre o bruto e o requintado nos estimularam a abrir o leque para o Norte e o Nordeste”, assim definiu o galerista Thomas Cohn, sobre a arte de Delson Uchôa entre os anos 1990 e 1993.

Foto: Reprodução

Mas a novidade é que Delson voltou a expor no Rio depois de 13 anos sem 1 individual no território carioca. “Autofagia – Eu devoro meu próprio tempo” é o nome da exposição com assinatura alagoana presente na galeria Anita Schwartz. São 5 pinturas e 1 instalação feitas com muito capricho usando técnica desenvolvida pelo próprio artista.

Na composição ele pinta resinas aplicadas no chão que só são removidas meses depois pra serem usadas em suas obras como suporte, ou recriadas pr’os trabalhos. Desta forma, cada resina funciona como partes de 1 todo que são costuradas ao passo que suportam a passagem do tempo. Algo que é agregado ao conceito da mostra.

Então se você mora no Rio, ou estiver de passagem por lá até o próximo dia 18, não deixe de visitar a Rua José Roberto Macedo Soares 30, na Gávea, pra conhecer 1 pedaço da nossa arte local, mesmo que fora de seu habitat natural.

Tags:,

>Link  

Maceió, Sol, Mar & Brisa
   Felipe  Camelo  │     28 de junho de 2018   │     15:57  │  0

Que Maceió é 1 ponto turístico muito requisitado, principalmente no verão, todo mundo já sabe.

Também, pudera, com tanta beleza natural, não tem nenhum cabimento não receber atenção nacional e internacional. O que pouca gente deve saber é que o nº de turistas cresceu consideravelmente no último ano.

2º dados do Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, o fluxo de passageiros visitando a capital alagoana aumentou 3,65% em 2017 se comparado com o ano anterior. O nº de passageiros bateu a impressionante marca de 2 milhões, sendo 209.581 apenas em dezembro.

Por esses e outros motivos, Maceió desperta bastante interesse de empresários, que contabilizam com tanto movimento, mas que, claro, também o ajudam a crescer. 1 destes ramos de investimento, como não poderia deixar de ser, é o dos hotéis.

Por aqui, 1 grande nome do seguimento é a Rede Brisa Hotéis, comandada por Kiko Gatto. Podemos testemunhar alguns de seus investimentos na paisagem local, como o Brisa Tower e o Brisa Mar, além do seu + novo hotel 4 ****, o Brisa Suítes, na Avenida Doutor Antônio Gouveia. Seu diferencial são as 40 salas empresariais mobiliadas pra executivos e empresas que queiram locá-las temporariamente.

Secretário de Turismo de Maceió, Jair Galvão, deputado federal Ronaldo Lessa, prefeito Rui Palmeira, secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas, Raul Brito, o anfitrião Kiko Gatto, e o diretor de operações da CVC (a maior operadora de turismo do Brasil), Clayton Armelin… Fotos: FC

Dentre autoridades de vários setores, agentes de viagem e pessoas do trade de turismo, fui convidado pra café da manhã com assinatura da chef Tatiana Brasil pra ter 1 gostinho do novo hotel na Pajuçara.

E as fotos…

 

Tags:, ,

>Link  

Ana 8 X Piaf
   Felipe  Camelo  │     27 de junho de 2018   │     13:34  │  0

Se tem 1 coisa que existe desde que o mundo é mundo é a música.

Simplesmente porque não foi o ser humano quem criou, apesar de existirem controvérsias. Pense bem. O som do vento que passa pela boca de 1 garrafa e produz sonoridade única não é música? Até os dedos molhados deslizando pela borda de 1 copo de vidro produzem música. A música está ao nosso redor, lá fora, na natureza, no canto dos pássaros, no barulho das ondas…

Vamos combinar. 1 arte tão antiga, talvez a + apreciada de todas, merecia 1 tratamento melhor do que o que é dado a ela hoje, pelo menos se tratando da grande mídia. O que aconteceram com os Beethoven da vida, os Bach e Mozart? Eclipsados pelos Safadões?

Não que isso seja de todo ruim. Esta simplicidade agregada à área musical democratiza a arte. Hoje, qualquer 1 pode ser músico. Qualquer adolescente de 13 anos consegue postar 1 música autoral no YouTube e viralizar, ficar famoso. Justin Bieber começou assim, Mc Loma também. Existe gosto pra tudo, né? O problema é quando a gente liga o rádio e é só isso que toca!!!

Dá 1 saudade de Édith Piaf. Ou você não sabe quem foi Piaf?!!??!?

Foto: Reprodução

Édith Piaf é, simplesmente, 1 das maiores intérpretes de todos os tempos, sem dúvida.

Nascida em Belleville, na França, em 1915, Piaf foi 1 dessas descobertas inusitadas das ruas. De fato, existe 1 lenda de que a cantora veio ao mundo numa calçada qualquer da “Rue de Belleville 72”. Seu nome de batismo? Édith Giovanna Gassion. Piaf na verdade foi 1 apelido que ela ganhou 20 anos depois, por seu talento nato em canto, já que em francês quer dizer “pardal”.

Depois de infância difícil, quase sempre abandonada e jogada de 1 lado pr’o outro pelos pais, que também eram artistas, e 1 adolescência não muito mais fácil, com o nascimento da filha, que morreu com apenas 2 anos de idade, e 1 namorado cafetão que praticamente a obrigava a se prostituir, Piaf finalmente teve seus dons descobertos enquanto cantava numa rua em Pigalle.

O seu mecenas foi Louis Leplée, dono do cabaré Le Gerny’s. Foi ele quem investiu em sua carreira, a treinou pra perder a timidez nos palcos e a apresentou pr’a alta sociedade francesa. Em 1936 ela lançou seu 1º álbum “Les Mômes de la Cloche”. Sucesso imediato. Daí em diante, entre trancos e barrancos (e muita polêmica), Edith Piaf construiu trajetória invejável com seu estilo “chanson” inconfundível.

Tamanha a sua importância, a cantora entrou definitivamente pr’os apêndices da cultura pop, sendo reverenciada até hoje no cinema, em séries, livros e produções artísticas em geral. Inclusive, em junho de 2007 ganhou filme sobre sua vida, “Piaf – Um Hino ao Amor”, onde foi interpretada magistralmente pela atriz francesa Marion Cotillard, em atuação consagrada com o Oscar. Algumas de suas músicas + populares são “La vie en rose”, “Hymne à l’amour”, “Milord” e “Non, je ne regrette rien”.

Imagem do filme “Piaf – Um Hino ao Amor”. Foto: Reprodução

Se você ficou curioso sobre a obra do “pequeno pardal”, como era conhecida, saiba que aqui em Maceió já vai à 8ª edição o recital “Piafiana – Uma homenagem a Edith Piaf”, produzido pela cantora, compositora e musicista Ana Galganni. Esta será a última chance de conferir o projeto, e acontecerá às 8 da noite do dia 13 de julho, no teatro do Centro Cultural Arte Pajuçara.

Em cena, além da própria Galganni, o pianista Ilbert Leaffá, o guitarrista francês Franck Jolivet e o músico, compositor e parceiro Júnior Bocão, interpretando juntos “as principais canções imortalizadas por Piaf entre passagens de sua vida contadas através de textos criados por Ana”.

Imagem: Reprodução

1 boa oportunidade de reavivar os tempos + férteis da música e conhecer a obra de 1 das artistas + influentes pr’a cultura contemporânea.

Tags:, ,

>Link  

Ela Própria, sua Melhor Receita
   Felipe  Camelo  │     26 de junho de 2018   │     16:45  │  0

Claro que não vou deixar de repercutir o lançamento de “Receitas das Alagoas – Cozinha de boteco, de chef, de rua e de tradição”, nos jardins do Museu Palácio Floriano Peixoto, onde a jornalista Nide Lins começou a autografar às 6 da tarde de ontem, e quando acabou a fila, eram 9 e 40 da noite.

Vale acesso: Pra Ler Salivando

Nessa hora, estávamos ambos com dores nas nossas mãos direitas. Ela de escrever e assinar, eu, de segurar a câmera e fotografar. Nestas 3 horas e 40, foram 868 fotos. Além dos que figuram no livro com receitas incríveis, muitos jornalistas, empresários, seguidores e fãs dela, como eu…

Não faltaram delícias doces e salgadas, além de cachacinhas e cervejas artesanais alagoanas. Mas confesso que 1 detalhe me deixou ‘incrível’, a quantidade de copos e pratos vazios que foram deixados em cima da mesa onde Nide autografava. Isso me incomodou muito, já que eu tinha que, o tempo todo, ficar tirando tudo que lá deixavam. A citada mesa, não era aparador, pra se deixar copos e pratos. Pra isso,  haviam mesinhas espalhadas.

Enfim, cheguei cansado em casa, mas feliz, com o sucesso de minha amiga.

Tags:,

>Link