Monthly Archives: junho 2017

H de Humorístico, H de Histeria
   Felipe  Camelo  │     30 de junho de 2017   │     10:00  │  0

Escritor, apresentador, humorista, pintor, músico, dramaturgo… Versátil e dinâmico, José Eugênio Soares, + conhecido como Jô Soares, claramente deixou sua marca na televisão brasileira.

Foto: Reprodução

Afastado há 3 anos dos palcos, escolheu a peça ‘Histeria’ para voltar a direção teatral. Com grande sucesso de público, o espetáculo chega a Maceió, às 9 da noite do próximo dia 22, no Gustavo Leite. Repercuto, na íntegra, o release enviado pela jornalista, produtora e agitadora cultural, Silvana Valença.

“‘Um encontro entre Freud e Dalí, realmente, só poderia terminar em uma imensa histeria’, brinca Jô Soares, que completa 59 anos de trajetória artística e mergulhou no relacionamento improvável entre o pai da psicanálise e o mestre do surrealismo para dar forma a comédia ‘Histeria’, do autor britânico Terry Johnson, que será apresentado dia 22 de julho, às 21h, no Teatro Gustavo Leite – Centro de Convenções.

O espetáculo, escrito em 1933, marca o retorno de Jô Soares à direção teatral, após quase três anos. No elenco estão Norival Rizzo, interpretando Freud; Cássio Scapin, como Salvador Dalí; Érica Montanheiro, vivendo uma misteriosa mulher e Milton Levy, como Yarruda, um médico judeu. O ator Rubens Caribé poderá substituir Cassio em algumas sessões.

Ambientada em Londres (1938), a comédia promove a junção entre a psique humana e o delírio imaginário, quando Sigmund Freud é visitado em seu consultório pelo pintor Salvador Dalí. ‘Achei que era uma fantasia da cabeça do autor, mas é tudo baseado em fatos. Poucos sabem da conexão entre essas duas personalidades’, relata Jô, que conheceu o texto na montagem dirigida por John Malkovich, em Paris, e logo correu atrás da compra dos direitos.

Foto: Priscila Prade/ Reprodução

Na trama, Freud, já perto da morte, acabara de escapar da Europa nazista. Perturbado, é visto em situações comicamente atrapalhadas, para o encanto do mestre surrealista, que conclui: ‘O que Dali vê apenas em sonhos, você vive na realidade’. Numa das sequências mais absurdas, Freud encontra-se segurando uma bicicleta coberta por caramujos, com uma das mãos presa dentro de uma galocha e com a cabeça enfaixada numa espécie de turbante.

Foto: Priscila Prade/ Reprodução

Entre diálogos inteligentes, situações farsescas, ritmo frenético e até alucinações, surge uma das ‘encruzilhadas’ do texto: retirar a essência do mito é minar o fundamento da fé? Um espetáculo que transpira psicanálise, a começar pela cenografia de Chris Aizner e Nilton Aizner, que faz referência ao consultório de Freud, passando por seus casos e algumas de suas teorias, que são questionadas pelos outros personagens. Há também um trabalho de projeção, idealizado por André Grynwask e Pri Argoud, apropriado como o delírio do Psicanalista; além da trilha sonora original de Ricardo Severo.

Foto: Leo Franco/Reprodução

Ficção inspirada em fatos reais, ‘Histeria’ promove um dos maiores encontros do século passado. ‘O texto é muito bem escrito, há mudanças de gênero, uma hora é comédia, outra vaudeville, drama, além de retratar duas figuras icônicas. Me encantei desde o começo, quando Jô me chamou para produzir’, conta Rodrigo Velloni, que também realizou ‘Atreva-se’, outro sucesso dirigido por Jô Soares”.

+ informações e ingressos, no suechamusca.com.br

Tags:, ,

>Link  

Enquanto Respirar, Há Vida
   Felipe  Camelo  │     29 de junho de 2017   │     10:00  │  0

Enquanto houver vida, viva!

E dizer que os idosos de hoje vivem como os de antigamente não é realidade. A expectativa de vida aumentou, o modo de viver se transformou, e os + velhos estão curtindo ainda +, viajando +, trabalhando +, namorando + … enfim, idosos + ativos, o verdadeiro “carpe diem”, que me lembra Osho, que dizia “Sejamos felizes aqui e agora”.

1 ótimo exemplo é esta senhorinha, que aos 80 anos arrasa na dança, ilustrando a máxima acima citada.

Com essa mudança, os que já passaram dos 60, procuram cada X + procedimentos que eliminem rugas, marcas de expressão… em clínicas de cirurgias plásticas,  Enquanto os jovens buscam a retirada de gordura, os + velhos focam em melhorar a flacidez da pele, que é comum com a passagem do tempo.

Fotos: Reprodução

Além disso, homem e mulheres acima dos 60 anos, estão transando +. O problema é que vão esquecendo dos cuidados básicos para 1 relação segura, e abrem espaço para diversas doenças sexualmente transmissíveis. Os casos de HIV entre pessoas acima de 50 anos dobrou, já que 80% dos adultos entre 50 e 90 anos são sexualmente ativos.

Aviso importante, curtam a vida, mas com todos os cuidados!!!

Tags:

>Link  

Alagoas, “200 anos de Forró”
   Felipe  Camelo  │     28 de junho de 2017   │     10:00  │  0

Este ano, estamos comemorando os 200 anos de Alagoas. Rica em história, cultura, lar de 1 dos maiores quilombos, lar de presidentes, grandes cantores, atores, musicistas, escritores… Como bem descreve este poema de autor desconhecido: “Lugar feito de magia onde é abençoado pelo mar! Terra de Zumbi à terra que diz pra mim que eu ei de brilhar! Terra dos Marechais, terra que me traz a mais perfeita emoção!”.

Fotos: Reprodução

Como + 1 das atividades da programação destas comemorações, ontem, 27, no Museu de Imagem e do Som de Alagoas, movimento extra com mostra “O Forró nos 200 anos de Alagoas”, que expõe LP’s, áudios, fotos… homenageando os artistas da terra.

A exposição “Pretende homenagear os artistas que contribuíram com o desenvolvimento do forró em Alagoas, que vai de Augusto Calheiros a outros tão importantes quanto”, 2º José Lessa, presidente da Associação dos Forrozeiros de Alagoas.

Ah! Em cartaz até o próximo dia 15, das 8 da manhã às 5 da tarde, de 3ª a 6ª feira, e nos finais de semanas e feriados, de 1 da tarde às 5, no nº 275, da Sá e Albuquerque, em Jaraguá.

Tags:,

>Link  

Arte Alagoana tipo Exportação
   Felipe  Camelo  │     27 de junho de 2017   │     11:00  │  0

1 das maiores colecionadoras de arte popular no Brasil, e premiada artista plástica, Tânia de Maya Pedrosa desembarca nesta 3ª feira, 27, em Paris, convidada especialíssima do 9º Festival d”Art Marginal Le Grand Baz’art.

Fotos: FC

Ah! Esta será a sua 10ª exposição internacional, e além de suas obras, leva também trabalhos de outros alagoanos, como Fernando Perdigão, artefatos de sua coleção, feitos por índios alagoanos, agregando ainda + valor ao nome de Alagoas na importante exposição em Paris, entre os próximos dias 30 e 2 de julho.

Suas peças são verdadeiras crônicas do comportamento cultural do povo nordestino, especialmente, alagoano, e serão expostas em 1 espaço de 7 metros, destinado exclusivamente a ela. Na mostra, com ela, + 20 artistas internacionais.

Considerada 1 pintora ‘naïf’ (‘ingênuo’ em francês), 1 pintura colorida e cheio de referências da infância e da cultura popular, Tânia já expôs suas obras em várias mostras no Brasil, e fora, como na Espanha, Suíça, como também, teve 6 quadros em cartaz no Museu de Belas Artes da França.

Tânia de Maya Pedrosa conquista colecionadores e fãs pela qualidade de suas obras, cuja a quantidade impressiona, tanto que ela tem acervo suficiente para manter 2 espaços, em seu apartamento e no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, no comecinho da Sá e Albuquerque, em Jaraguá.

Daqui, desejo ainda + sucesso!!!

Recente perfil com de sua história, no  http://felipecamelo.blogsdagazetaweb.com/2016/10/27/tania-de-maya-pedrosa/

Tags:

>Link  

A Rica Cultura Alagoana
   Felipe  Camelo  │     26 de junho de 2017   │     13:57  │  0

Tesouro inesgotável. É assim que imagino a cultura de 1 povo. O Brasil, por ser 1 país de tamanho continental, é rico quando se fala neste assunto, temos festas, manifestações, costumes, comidas, referências, artesanatos, danças, músicas diferentes, que vai de 1 extremo ao outro se reinventando, mas que não deixa de ser nossa cultura.

Fotos: Marco Antônio/Secom/Reprodução

Alagoas tem 1 das maiores diversidade cultural do país, são + de 25 manifestações, como os folguedos, pastoril, quilombo, reisado, bumba-meu-boi, guerreiro, coco de roda…

E é exatamente do coco de roda alagoano que vamos ‘falar’. Sentindo que havia carência de incentivo e pouca visibilidade, a Secretaria do Estado da Cultura, está realizando o 1° Festival de Coco de Roda de Alagoas, enriquecendo ainda + a programação de São João em Maceió.

Foto: Thiago Sampaio/Reprodução

“Nós saímos do gancho da quadrilha juninas, pois só fazíamos eventos nas sombras desses festejos. Esse festival é muito especial, espero que todos venham nos prestigiar”, 2º vice-presidente da Liga dos Cocos de Roda de Alagoas, Murilo Santos.

Foto: Thiago Sampaio/Reprodução

Desde o último sábado, 24, indo até o próximo dia 29, na praçinha dos fundos do Museu da Imagem e do Som, que fica na frente da Praça 2 Leões, em Jaraguá, o Festival tem a participação de 15 equipes.

Todo a programação está disponível no www.cultura.al.gov.br

Tags:,

>Link