Genuinamente Alagoana
   Fernando  Lima  │     25 de fevereiro de 2016   │     13:08  │  0

Fotos: FC/Reprodução

Fotos: FC/Reprodução

Nascida numa família das + tradicionais em terras caetés, Tânia de Maya Pedrosa sempre foi apaixonada por arte, principalmente a produzida pelo home comum, tanto que sua coleção de Arte Popular é 1 das + importantes do país, e parte dela está permanentemente no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Jaraguá (especificamente na Sá e Albuquerque).

Na década de 90, deixou aflorar seu lado artístico, surgindo no cenário como destaque. Apesar de ter mantido sua pintura escondida durante anos, foi convencida por amigos a enviar 2 telas (“Devoções Populares” e “Crenças Populares”) para participar da Bienal Naïf Brasil de 1998 em Piracicaba. A partir daí, a artista não parou +. Recebendo vários prêmios, a alagoana hoje é reconhecida e tem seu trabalho circulando e expondo mundo afora.

Quase 18 anos depois, Tânia envia + obras suas para a edição 2016 da Bienal, criada em 1992, buscando expôr o trabalho de artistas que trazem em suas obras fortes elementos que caracterizam a cultura popular brasileira.

Com curadoria de Diógenes Moura, apresenta 106 obras, de 81 artistas, de 16 estados brasileiros entre pinturas, esculturas, gravuras, bordados, tecelagens… em narrativas originárias de 1 percepção sobre suas próprias culturas, retratam cenas do cotidiano, mesclado sofisticada e simplicidade.

Além da exposição, também na programação, ateliês abertos, oficinas, cursos, palestras, visitas orientadas, intervenções e apresentações artísticas. A abertura este ano está prevista para 19 de agosto, no Sesc Piracicaba, em São Paulo. Se estiver por perto, vale visita!!!

Fel02230216

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *