Mídia Espontânea, Positiva e Operante
   Felipe  Camelo  │     27 de janeiro de 2016   │     15:17  │  0

 

Fotos - FC

Foto – FC

Alagoas é frequentemente divulgado nacionalmente com dados e estatísticas negativos, mas há quem dê motivos também para destacar os pontos positivos do nosso estado. O talentoso e inspirado fotógrafo Reynaldo Gama Jr, conhecido em todo Brasil por seu trabalho para grandes revistas de circulação nacional, é 1 exemplo disto. Ele mesmo vítima de violência, sobreviveu,enfrentou e superou os desafios da vida.

Profissional reconhecido por seu trabalho em publicações nacionais e internacionais, como Playboy e Sexy, além de ter estudado e trabalhado por muito anos na França, firmou parceria com o Grupo Liberado Junior de Comunicação para mostrar as belezas de Alagoas.

Já foram 2 ensaios produzidos e publicados. 1 para a “Mais Junior”, onde alguns galãs alagoanos posaram para as lentes do fotógrafo na edição de dezembro da revista, e agora, para a Mais Glamourosa, fotografou a empresaria, modelo, digital influencer (formadora de opinião) e it girl Maria Paula Maia (@mariapaulawcmaia).

Aida Britto (que mora em Londres) estava aqui e maquiou-a, deixando-a ainda +. Maria Paula usou roupas de Fernando Perdigão, acessórios de Rona Silva e de Rogélia Perez, e a incrível locação, foi a fazenda de Themis Vilela em Viçosa. Esta edição de fevereiro estará nas bancas a partir do próximo dia 1°. Também destaque para o restaurante ‘peruano alagoanado’ Wanchako. O lançamento acontece a partir das 4 da tarde de amanhã, na loja Mara Tenório, (no 764 da jangadeiros Alagoanos, Pajuçara). Recebendo com a classe de sempre, a anfitriã Mara Tenório, e o empresário Liberado Júnior (todo poderoso do Grupo que leva seu nome).

Em entrevista, Reynaldo Gama Jr falou 1 pouco sobre seu trabalho e esta nova etapa de sua carreira.

Fernando Lima – Como surgiu esse interesse pela fotografia e como tudo começou?

Reynaldo Gama Jr- Surgiu desde muito cedo, comecei a fotografar na adolescência, aos 14 anos de idade, quando ainda estava no colegial.

Quais foram suas inspirações neste inicio?

Além do meu avô, que costumava fotografar sempre, conheci uma brasileira, do Rio de Janeiro, que morou na Inglaterra e que era fotografa formada em Londres. Ela se chamava Iggy Oliveira e veio para Maceió com o marido, um matemático, professor da Universidade Federal de Alagoas. A partir de então me tornei assistente dela.

Você fez quais cursos de fotografia? Onde estudou?

Sim! Estudei fotografia nos EUA, nos anos 80. Também sou formado em Arquitetura no Rio de Janeiro.

Como foi seu inicio na carreira como fotografo

Meu primeiro trabalho profissional como fotografo foi aqui mesmo, em Maceió, para uma revista chamada Society, que era do Carlinhos da Grafitex, uma gráfica famoso daqui da capital. Na época a revista era coordenada pelo cronista social Elenilson Gomes, o Pelézinho. A principio, já que na época eu era assistente da Iggy, a substitui na revista. Depois disto, fui embora estudar nos EUA. Voltando para o Brasil, fui estudar no rio. Terminando o curso, fui morar na Europa, em Paris. Lá morei 7 anos e já trabalhei para a Playboy e outras revistas de moda. Em 94, quando conheci Felipe, fui para São Paulo e comecei a trabalhar para as principais revistas nacionais e agencias de publicidade. Lá fiquei 20 anos.

Há alguns anos você passou por um momento difícil em sua vida, um acidente. Como foi retomar o trabalho depois disto?

Recomecei do zero. Foi algo interessante, foi uma retomada, mas com boas lembranças e com muita vontade de voltar a ser quem eu já tinha sido. Tinha boas referencias, tinha trabalhado com pessoas muito qualificadas e eu tinha vontade de voltar para o mercado, como eu já voltei. Batalhei muito para isto (na verdade ainda estou batalhando, porque acho que precisamos ir a luta todos os dias), mas consegui, e agora quero mostrar Alagoas para o mundo. Voltei a ativa, mas continuo morando aqui. Logo após o acidente, minha recuperação aconteceu aqui mesmo, fui à São Paulo apenas para algumas consultas e check ups. Apesar de morar aqui, não perdi meus contatos profissionais de lá. O que também me serviu como incentivo para esta retomada, foi notar todas as mudanças que aconteceram no mercado. Tem muita gente boa e qualificada por ai. Isso também acabou me me sinto estimulado a voltar, me superar e me destacar entre tantos.

Nos seus + novos trabalhos, que foram para 2 revistas do grupo Liberado, a + Junior e + Glamourosa, você trabalhou exclusivamente com homens, num ensaio sensual e depois fez um ensaio sobre moda e estilo com uma mulher, a modelo Maria Paula Maia. Qual foi a diferença entre os dois?

Sempre fotografei homens e mulheres a vida inteira, tenho 1 certa experiência com isto. Acho que a beleza pode ser encontrada em ambos. O belo vai além disto, a arte fotográfica não distingue sexo. Basta 1 boa luz que consigo fazer meu trabalho. O complicado só é lidar com o preconceito, principalmente do nordestino, quanto às fotos masculinas. Ainda há muita discriminação quanto a isto.

Reprodução

Reprodução

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *