‘Do Meu Jeito’ realizando 1 Sonho
   Felipe  Camelo  │     28 de outubro de 2015   │     14:00  │  0

Kel Monalisa - Foto Brunna De Matteo 001

Fotos – Brunna De Matteo/Cortesia

1 das interpretes + talentosas, afinadas, carismáticas… em terras alagoanas, Kel Monalisa realiza 1 sonho hoje, ‘acalentado’ desde que se descobriu cantora, se apresentar no centenário palco do Teatro Deodoro. Com release completo e irretocável, assinado pela jornalista Graziella Fritscher, reproduzo aqui na íntegra.

Então, claro que vale chegar cedo pra aplaudir esta alagoana de sucesso.

” ‘Uma vez eu ouvi Djavan dizer que para ele o Deodoro era uma coisa meio inalcançável’. É assim que Kel Monalisa começa a falar da emoção de tocar pela primeira vez no palco mais tradicional da capital alagoana. A estreia da cantora no Teatro Deodoro acontece na noite da próxima quarta-feira, 28 de outubro, com o show ‘Do Meu Jeito’.

Mesmo já tendo compartilhado da atmosfera centenária em diversas oportunidades, em participações com outros artistas, Kel comemora a estreia com um espetáculo definitivo, preparado especialmente para a ocasião: ‘Estou na música há um bom tempo, mas o show que eu queria fazer no Deodoro não era qualquer um… teria que ter um significado muito importante na minha carreira’.

Kel Monalisa - Foto Brunna De Matteo 002Lançando o primeiro cd autoral, que leva o mesmo nome do show, a cantora alagoana de voz poderosa deve encantar os antigos e fiés fãs, além de conquistar novos admiradores, já que o álbum tem sido elogiado pela escolha do repertório e do time de músicos.

Emocionada, Kel não esconde a ansiedade de interpretar no cenário histórico as canções que compôs e que marcaram sua própria trajetória: ‘Sempre achei que eu ia pisar naquele palco, mas no momento certo’, comenta. O momento, enfim, chegou.

Do Meu Jeito

Às vésperas de encerrar as gravações de seu primeiro álbum, Kel Monalisa, cantora e compositora alagoana, saiu uma noite pra se desligar da intensa rotina de estúdio e gravações que vinha se instalando em seus dias de junho. Ao lado do marido Gabriel Freitas, músico e produtor do álbum, ouviu no barzinho, lugar-comum onde talhou sua própria trajetória, uma série de canções que não conhecia: “Só pode ser trabalho autoral”, imaginou.

Kel Monalisa - Foto Brunna De Matteo 003Questionando o cantor que se apresentava, ouviu do rapaz uma música inédita, recém-composta: ‘É Ou Não É’, que no cd ‘Do Meu Jeito’, álbum de estreia da cantora, se transformou em um temporal sonoro, repleto de referências brasilatinas, entrecortadas pela guitarra quase falada de Gabe, nome carinhoso pelo qual Kel chama o marido: ‘Assim conheci André Rodrigues, que me permitiu gravar essa canção no meu primeiro cd’.

Sem o menor receio de perder espaço para outros talentos, Kel Monalisa trilha os próprios caminhos abrindo os braços para a arte de quem chegar. Rodrigo Avelino, outro inspirado músico local, que o diga – ele assina as instigantes ‘Ao Mais’ e ‘Ser Feliz’, que ao lado de ‘Posso Estar Errado’, parceria de Gabriel Freitas com Fábio Cabral, incrementa a série de férteis compositores que habitam ‘Do Meu Jeito’.

A sintonia com a compositora Zélia Santti, que acumula êxitos no repertório das maiores bandas de forró do país, não poderia ficar de fora do álbum, exibindo um lado pouco conhecido da musicalidade de Zélia. O samba-canção ‘Não Vou Te Esquecer’ combate qualquer desamor com um refrão voluptuoso, enquanto o hit ‘Por Que Você Não Volta’, cantado aos berros emocionados pelo cortejo que acompanha Kel há anos nos bares e palcos de Alagoas, ganha seu registro definitivo.

Mas ‘Do Meu Jeito’ vem fincar sua bandeira de forma ainda mais pungente: a cantora de voz forte que interpreta os clássicos da MPB com a segurança de quem sabe o que faz, abre o cd logo com três composições próprias: ‘Só Quero Muito’, ‘Teu Olhar’ e ‘Não Tem Jeito’, essa última forte candidata a melhor canção do álbum. O abre-alas triplo mostra uma Kel apta a encarar novos e maiores desafios. A romântica ‘Vem Ficar Comigo’ e a já conhecida ‘Não Volta Mais’, lançada ano passado, completam o time de músicas diretas e confessionais, verdadeiros desafogos em tempos de talentos dissipados pela falta de identidade.

A produção ainda expõe um triunvirato em plena harmonia, formado por Kel, Gabriel e Thiago Araújo, que se mostra afinado no desafio de preparar cuidadosamente o leito instrumental adequado para envolver a voz da cantora. Tarefa árdua para qualquer produtor que se depare com um timbre poderoso como o de Kel, natural e instintivo no dom de preencher todos os espaços – mas cumprida com desenvoltura.

Quando uma cantora encara a própria história e decide registrá-la de forma tão honesta, não há outro caminho a não ser deixar vir à tona os anos de estrada, o início como brincadeira, a descoberta do sonho, a descrença de alguns, o aplauso de outros, a frustração, a dor, a mágoa, o êxtase, a vitória, a conquista… Não por acaso, Kel Monalisa entoa: ‘o pouco existe / não me interessa / eu tenho pressa’. Que continue com a urgência de ganhar o mundo da música, porque este sim, não perde por esperar.”Kel Monalisa - Foto Mônica Guimarães 001

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *