Contra a Vida
   Felipe  Camelo  │     1 de agosto de 2015   │     10:00  │  0

Reprodução

Reprodução

Símbolo de Zimbábue e estrela de seu Parque Nacional em Hwange desde que nasceu, o Leão Cécil, de 13 anos, foi encontrado morto e em estado de putrefação nas redondezas do parque no último dia 1º .

2º informações, o animal não morreu de imediato. O coitado, cheio de flechas, agonizou por + de 40 horas, antes de ser finalmente abatido, decapitado e tendo sua pele arrancada. Verdadeira barbárie.

150728175529_zimbabwe_cecil_lion_624x351_afpO autor do hediondo crime foi o dentista norte-americano Walter Palmer, de Minnesota. 2º ambientalistas do Zimbábue, ele pagou US$ 50 mil (cerca de R$ 170 mil) para matar o leão + famoso do país.

Em sua defesa, Palmer declarou não saber sobre a área de caça ilegal, apesar de já ter respondido por crimes similares nos Estados Unidos, como em 2006, quando foi condenado a pagar multa de US$ 3 mil por ter matado 1 urso-negro em Wisconsin.

 

“Eu não tinha ideia até o final da caçada que o leão que abati era conhecido e estimado localmente e que usava 1 colar como parte de um estudo. Eu me arrependo profundamente que minha busca por uma atividade que amo e pratico de forma responsável e legal tenha resultado no abate desse leão”, afirma.

Não justifica, de jeito nenhum.

O episódio causou verdadeira comoção nas redes sociais e na internet. Várias celebridades e autoridades se manifestaram. A repercussão foi tanta, que em várias partes do mundo, provocou reações de indignação e protesto. Inclusive em Minneapolis (Minnesota), onde vive o infeliz. Desde então, este ser adjeto sumiu, ninguém sabe de seu paradeiro. Seu consultório permanece de portas fechadas e sua conta no Facebook e em outras redes sociais foram deletadas após justos comentários furiosos.

Em outros registros do Conselho de Odontologia de Minnesota consta que Palmer também já foi acusado de assédio sexual. Em 2006, sua recepcionista alegou ser alvo de ‘comentários indecentes’. O dentista não admitiu este crime, mas concordou em pagar a ela + de US$ 127 mil.

Que ele seja condenado e que isso sirva como exemplo, e que outros caçadores sejam igualmente denunciados e punidos.

 

 

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *