Força Diferenciada, Enérgica e Qualificada
   Felipe  Camelo  │     9 de julho de 2015   │     11:34  │  3

bannerpic

Reprodução

Infelizmente, com a crescente violência mundo afora, é impossível viver sem os devidos aparelhos de segurança, hoje, mercado que utiliza de alta tecnologia, e que também precisa de ‘mão de obra’ especializada. Como o Batalhão de Operações Especiais, que vem realizando excelente trabalho por aqui.

Com uns 280 policiais militares e 1 missão bem estruturada o Bope completou na última 3ª, 39 anos trabalhando muito, e bem,  em situações de crise em terras caetés.

(Foto: Rivângela Gomes/G1/Cortesia)

(Foto: Rivângela Gomes/G1/Cortesia)

Em celebração por estas quase 4 décadas, promove curso de capacitação máxima, com situações extremas para melhorar o condicionamento físico, inclusive.

“É um curso onde o nosso profissional é submetido a 1 demanda física e psicológica extrema tanto que, naturalmente, é 1 curso que forma pouco. Poucos se formam pela questão das condições das quais eles vão ser submetidos de extremo desgaste físico e psicológico, além disso, também tem a alta exigência técnica”, explicou o comandante , coronel PM Jairison Melo.

Elaborando as tarefas, conta ainda com o apoio do Corpo de Bombeiros, Exército e as polícias Civil e Militar (esta, que vai ajudar nas ações que serão realizadas no Sertão de Pernambuco e nas montanhas de Bahia).

“O ‘caveira’ não pode ser o + ou -, ele tem que ser muito bom. Então, ele tem que ser exímio em várias técnicas, a exemplo de tiro, defesa pessoal, natação, salvamento, sobrevivência… Nesses 3 meses e 1/2 eles vão está ligados no curso tendo essa área de conhecimento com várias forças da polícia que vão nos apoiar”, continuou o coronel.

(Foto- Fabiana De Mutiis/G1)

(Foto- Fabiana De Mutiis/G1/Cortesia)

“Eu costumo dizer que nós não somos os melhores, mas somos diferenciados. Para isso, nós investimos em coisas importantes, como por exemplo, o treinamento. Essa área de atuação é 1 área complexa que necessita que o nosso profissional tenha 1 bom preparo. Além disso, serve também, para expandir a nossa cultura e, com isso, formar novos interessados em integrar a equipe dos caveiras”, complementou.

Tido para muitos como 1 polícia violenta, o batalhão exerce 1 trabalho “energético”, como definido pelo cel Jairison Melo, já que é acionado para situações que necessitam atenção especial para o sucesso da operação.

“O Bope é o último recurso na ação de polícia. É 1 trabalho de repressão qualificada, ou seja, quando todos os outros recursos não funcionam, nós somos utilizados como último gradiente de força. Por isso, algumas pessoas vem entender que o Bope é 1 tropa violenta, quando isso não é verdade. O Batalhão de Operações Especiais é 1 tropa de repressão qualificada. Sendo que a repressão também faz parte do processo”, finalizou.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

>Link  

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Brasileiro

    Excelente matéria. Quem digita bobagens sem nem ao menos ter o mínimo de conhecimento, deveria buscar mais informação e preencher essa cabeça vazia. Parabéns ao jornalista pela matéria e aos policiais por seu trabalho.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *