“Je Suis Charlie”
   Felipe  Camelo  │     9 de janeiro de 2015   │     10:00  │  2

000_par8067435a

Os cartunistas Georges Wolinski, Jean Cabut , Stephane Charbonnier e Tignous, vítimas do atentado no último 7 de janeiro em revista Francesa (Foto: Bertrand Guay, François Guillot, Guillaume Baptiste/AFP)

Os olhos do mundo inteiro se voltaram para França esta semana. A revista satírica francesa Charlie Hebdo foi vítima de atentado a tiros na manhã da última 4ª, em Paris, deixando 12 mortos, entre eles Georges Wolinski, Jean Cabut – o Cabu, Stephane Charbonnier – o Charb e Tignous, 4 chargistas de grande renome. De acordo com o Procurador de Paris, outras 11 pessoas estão feridas e 4 delas em estado grave.


2º informações da polícia, 3 homens armados e com máscaras entraram na redação, fizeram disparos e em seguida fugiram num carro dirigido por uma 4ª pessoa. Os terroristas seguiram para a região da estação de Porte de Pantin, nordeste da cidade, abandonando o veículo. Na fuga, sequestraram outro carro, deixando o motorista na rua.

Conhecida pelo tom provocativo e irreverente, a revista recentemente publicou charges satirizando o Islamismo e o profeta Maomé. Para o presidente francês, François Hollande, se tratava de um ataque terrorista além de 1 “excepcional barbárie. A França está em choque, porque se trata de um ataque terrorista”, disse. Em 2011, a “Charlie Hebdo” sofreu ataques após série de caricaturas de líderes muçulmanos e do profeta Maomé, sendo alvo de incêndio criminoso na época.

O dia de ontem, 8, foi marcado por protestos e manifestações mundo afora em apoio às vítimas e contra o terrorismo. Para o cartunista brasileiro Ziraldo foi 1 “atentado a liberdade de imprensa”. Dos 4 cartunistas mortos, ela era próximo de Wolinski e Cabu, e disse que foi 1 perda para a arte e para a imprensa. “Nós, os humoristas mais antigos do Rio, acompanhamos o trabalho deles desde que começaram e a gente está chocadíssimo. Eu nem falei com o Jaguar ainda, ele vai levar um susto. É a nossa geração. É uma perda inestimável pra luta política do mundo.”

Em comunicado, Mauricio de Souza, outro grande chargista, disse: “A liberdade de expressão está de luto pelo atentado à revista satírica ‘Charlie Hebdo’, em Paris. Doze pessoas morreram na ação entre as quais três desenhistas. Um deles Wolinski, considerado um dos maiores cartunistas do mundo, que com seu traço descontraído e humor irreverente, influenciou um bom número de artistas brasileiros. Ele os fazia rir às lágrimas. Como muitos dos seus personagens. Nossas homenagens às vítimas da intolerância.”

Que Deus me perdoe, mas acho que os extremistas destes grupos radicais não tem perdão, não acredito em suas ‘recuperações’ como seres humanos. Ninguém tem direito de impor sua posição religiosa, ou seja lá qual for, tirando a vida de inocentes. Sendo assim, paredão e cadeira elétrica!!!

Confirmo aqui que não sou contra, obviamente, ao Islamismo, que para mim é totalmente desassociado do terrorismo praticado por radicais em nome da religião islâmica, que acaba sendo 1 ‘tiro no próprio pé’.

Último desenho de Stéphane Charbonnier publicado esta semana, mostra terrorista alertando sobre ataque em janeiro.

Último desenho de Stéphane Charbonnier, publicado esta semana, mostra terrorista alertando sobre ataque em janeiro. Assustadoramente profético (Foto – Reprodução)

Aqui, recentes capas polêmicas do jornal envolvendo islamismo, que para muitos podem ter motivado o ataque.

Fotos - Reprodução

Fotos – Reprodução

capa2

capa3

capa6

noticia_96872

Tags:, , , ,

>Link  

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Josiklay Farias

    Lamentável a morte desses profissionais, contudo, querem cobrar o direito à liberdade de expressão, porém, não RESPEITAM A LIBERDADE RELIGIOSA. Aí fica difícil cobrar algo. Se houver respeito a todos, com certeza teremos um MUNDO MELHOR. Eis minha humilde opinião.

    Reply
    1. Catarina

      Josiklay, você está terrivelmente enganado. Os chargistas não feriam de forma alguma a liberdade religiosa. Eles faziam desenhos. Ponto. Zuando, brincando. No máximo ofendendo. Mas de forma alguma cerceando a liberdade de alguém de pertencer ou exercer sua religião.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *